notícia

NOTA DE PESAR

Comunicamos com pesar o falecimento do senhor José Pereira Filho, 80 anos, pai de nosso diretor Eudson Pereira da Silva, ocorrido hoje (20/03). O senhor José morava na cidade de Cosmópolis (SP), onde o corpo será sepultado. Manifestamos nossos sentimentos a todos os familiares. Sindicato dos Metalúrgicos de João Monlevade (MG). - Leia mais [...]

CNM/CUT: política industrial tem de garantir emprego e produção nacional

Em resposta às declarações de Donald Trump, que anunciou sobretaxa nas importações de aço, a Confederação reafirma defesa da indústria brasileira [Escrito por: CNM/CUT] Após o anúncio do presidente Donald Trump nesta quinta-feira (1) de impor sobretaxa nas importações de aço e alumínio, a Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT) reafirma sua defesa de uma indústria nacional forte, que tenha diretrizes com participação da classe trabalhadora. Afirmando a necessidade de proteger a indústria norte-americana, Trump divulgou que vai impor sobretaxas de 25% sobre importação de aço e de 10% sobre a importação de alumínio. O Brasil é um dos principais exportadores de aço para os EUA. Em 2017, enviou - Leia mais [...]

Com Temer, País tem mais empregos precários e mal remunerados

Segundo IBGE, número de trabalhadores sem carteira aumentou 5,7% e o rendimento é 44% menor do que o dos trabalhadores que têm carteira assinada [Escrito por: Marize Muniz / CUT Nacional] O Brasil está gerando mais empregos precários e mal remunerados, aponta Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgado nesta sexta-feira (23) pelo IBGE. Em 2017, o número de trabalhadores e trabalhadoras sem carteira assinada, portanto, sem direito a férias e 13º salário, entre outros benefícios, aumentou 5,7% – o de trabalhadores formais caiu 2%. Além de não terem direitos, os informais recebem, em média, 44% menos do que o trabalhador que tem carteira assinada. Para o presidente da CUT, - Leia mais [...]

Previdência: ‘O que nós precisamos é de emprego e o Brasil crescendo’, diz Gabas

Ex-ministro dos governos Lula e Dilma lembra que até 2015 as contas da Previdência estavam no azul. Atuais desequilíbrios são causados pelo aumento do desemprego [Escrito por: Rede Brasil Atual] “Nós não precisamos de uma reforma que tira direitos. O que nós precisamos é de emprego e o Brasil crescendo”, afirma o ex-ministro da Previdência Carlos Gabas (governos Lula e Dilma), em um dos vídeos de uma série produzida pela TVT que rebate os principais pontos defendidos pelo governo Temer, veiculadas durante a programação. Gabas lembra que a mesma história de que o sistema público de aposentadorias estaria prestes a falir é contada há mais de 30 anos, quando ele começou a trabalhar no INSS. O - Leia mais [...]

Reforma da Previdência: governo sinaliza novo ataque ao BPC

Planalto pretende aumentar de 65 para 68 anos a idade mínima para o acesso de idosos e pessoas com deficiência pobres ao Benefício de Prestação Continuada (BPC) [Escrito por: Tatiana Melin / CUT] A intenção do ilegítimo e golpista Michel Temer (MDB-SP) de acabar com as políticas de proteção social, sobretudo as que garantem um mínimo de dignidade à população mais pobre do País, não se resumirá ao novo texto da proposta de reforma da Previdência, que o governo pretende colocar em votação em fevereiro, após o fim do recesso parlamentar. Temer quer aumentar de 65 para 68 anos a idade mínima para que idosos e pessoas com deficiência físicas - Leia mais [...]

Economia em crise prejudica negociações coletivas

Inflação baixa é elemento positivo nas negociações coletivas para conquista de aumentos mais consistentes mas, em 2017, trabalhadores não viram isso acontecer [Escrito por: CUT Nacional] A subseção do Dieese da CUT fez uma análise dos reajustes salariais conquistados em 2017, ano em que o Brasil registrou baixo crescimento econômico, incertezas e instabilidades que impactaram nas negociações coletivas e concluiu que, para a classe trabalhadora, não há sinal da tal recuperação econômica tão festejada pela mídia conservadora. Sem crescimento econômico, com altas taxas de desemprego e aumento da informalidade é muito pequena a margem para aumentos reais nas negociações coletivas e, apesar da inflação baixa, muitas categorias não conseguiram conquistar - Leia mais [...]

Temer deu bilhões a grandes empresas, mas veta apoio a microempresário

[Escrito por: Leonardo Sakamato (Blog do Sakamoto)] Entre as justificativas apresentadas: o fato que a medida não apresentou um estudo mostrando seu impacto nas contas públicas e sua previsão de compensação, fará com que o governo desrespeite a Lei de Responsabilidade Fiscal e pode estimular empresas a não pagarem impostos à espera de um parcelamento governamental. A informação foi confirmada pelo presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, que se reuniu com Temer. A ideia, segundo ele, é buscar resolver o problema do impacto econômico e, depois, pedir para o Congresso derrubar o veto. Sensato o pacote de justificativas, não? Então, porque o mesmo não foi aplicada para barrar a concessão - Leia mais [...]