rapidinho

ArcelorMittal descarta tabela de 12 horas, mas se compromete a buscar alternativa

Confira a versão em PDF>>> *** VERSÃO EM TEXTO: Implantação de tabela com turnos de 12 horas, 4×4 (quatro dias de trabalho, quatro de folga), preferida pelos trabalhadores da Usina de Monlevade de acordo com votação em assembleia há uma semana, foi descartada pela ArcelorMittal em reunião virtual com o Sindmon-Metal na tarde desta segunda-feira (21). Segundo a gerência da empresa, a utilização desse modelo na unidade de Tubarão, no Espírito Santo, teve legalidade reconhecida pelo Tribunal Regional do Trabalho daquele estado, mas o Ministério Público recorreu da decisão junto ao Tribunal Superior do Trabalho. A ação ainda tramita na Justiça. Por esse motivo, não haveria “segurança jurídica” para sua - Leia mais [...]

RAPIDINHO Nº 166 – Discussão sobre tabelas de revezamento será ampliada junto a sindicatos

*** Versão em texto: O Sindmon-Metal discutiu a questão de jornada de trabalho e tabelas de revezamento junto a outros quatro sindicatos em reunião virtual na tarde desta-quinta-feira (6). As entidades participantes foram as das unidades de Juiz de Fora, Contagem, Tubarão (ES) e Araquari (SC). Na primeira delas, é praticado modelo que já foi utilizado na Usina de Monlevade. Em Contagem, o turno é fixo. Já nas outras duas, que são do segmento de aços planos, pratica-se jornada diária de 12 horas. Ficou acertado que será feita consulta às demais entidades sindicais integrantes da Rede de Trabalhadores da ArcelorMittal. No entendimento dos sindicalistas, trata-se de tema fundamental para os - Leia mais [...]

RAPIDINHO Nº 164 – Tabela de Revezamento ainda exige mais discussão

– Versão em texto –  Os debates em torno de uma nova tabela de revezamento na ArcelorMittal Monlevade ainda não se esgotaram. Decisões que não considerem a complexidade do tema podem prejudicar a categoria. Em reunião na semana passada entre a empresa e o Sindmon-Metal, optou-se por um novo contrato, que mantém, por 90 dias, a tabela atual (cuja vigência se encerraria neste mês de julho). A empresa diz descartar modelos que impliquem aumento de pessoal ou custos ou, ainda, possam gerar passivo trabalhista (por desacordo com exigências legais). O Sindmon-Metal considera que questões como condições de trabalho, descanso, saúde e segurança são fatores fundamentais. Não se pode deixar de - Leia mais [...]

RAPIDINHO Nº 163 – Trabalhador com aposentadoria especial que volta a trabalhar em atividade nociva à saúde perde direito ao benefício

Versão em PDF>>> [VERSÃO EM TEXTO:] Decisão do STF foi tomada no último dia 5 O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que trabalhadores com aposentadoria especial perdem direito ao benefício se continuarem a trabalhar em atividade nociva à saúde. A decisão da corte, tomada em sessão virtual encerrada no último dia 5, confirma o que já estava expresso no parágrafo 8º do artigo 57 da Lei de Benefícios da Previdência Social (8213/1991). O INSS deverá notificar os trabalhadores nessa situação, e quem for notificado terá 60 dias para defender-se. Terminado esse prazo e a defesa não sendo considerada aceitável, a aposentadoria especial será cancelada. O que deve fazer o aposentado - Leia mais [...]